O país Irã está enfrentando uma crise econômica atualmente. Grande parte pelo fato dos Estados Unidos imporem sanções econômicas, devido o suposto enriquecimento de urânio, proibido por tratados internacionais. Seus cidadãos, os indivíduos mais impactados pela decisão, procuram alternativas para sair do isolamento da economia mundial. Uma das alternativas foi transacionar com criptomoedas. E, consequentemente, aumenta a procura por este ativo, estimulando o processo de mineração local.

 

As sanções impostas pelos EUA, e posteriormente pelo resto do mundo, atingiram a economia iraniana de diversas formas. Talvez a mais impactante tenha sido a expulsão dos bancos iranianos da rede de comunicação interbancária internacional, SWIFT. Resultando na completa exclusão do Banco Central Iraniano do resto do mundo. Agora nenhum banco comercial do país consegue processar transações ou realizar qualquer tipo de negócio com instituições financeiras de outro países.

 

Como as sanções foram impostas, e não concordadas, o Irã fica impossibilitado de resolver problemas graves, como o isolamento financeiro de cidadãos vivendo no exterior. Imagine que seu filho estuda em uma universidade prestigiada na América do Norte ou Europa, por exemplo. Em grande parte dos casos, o valor a ser pago pela mensalidade não é pago integralmente no inicio do curso. Portanto seja mensalmente ou anualmente, você deveria realizar uma remessa de dinheiro internacional para quitar o pagamento. Algo impossível no momento. Ou talvez não seja a educação de seu filho, mas o tratamento médico especializado de sua mãe (o qual não está disponível no seu país). Estes são somente alguns dos casos onde as criptomoedas foram apresentadas como solução a um conflito politico. Leia mais na reportagem do The Guardian.

 

O processo de mineração foi reconhecido como um negocio legitimo pelo governo em setembro, de acordo com o site de notícias Ibena. Porém ainda não existem nenhum tipo de recomendação ou regulação. O maior passivo recorrente do business de mineração é a energia elétrica. Deve-se portanto reduzir ele ao máximo, procurando localidades onde essa commoditie é barata. O governo subsidia a eletricidade, fornecendo aos consumidores a um valor abaixo do custo real. Este fato foi responsável, junto a nova autorização, por criar um grande fluxo de mineradores para o irã.

 

Os habitantes do país estão pagando valores bem acima do mercado para adquirir estes tokens. Logo após as sanções entrarem em vigor, a procura por tokens aumentou rapidamente. Agora, a mineração local irá trazer um fluxo de venda ao mercado, deve estabilizar a procura e portanto tornar o preço mais compatível com o praticado ao redor do mundo. O preço do bitcoin chegou a ser cotado em U$24.000,00 (enquanto valia aproximadamente U$6.000,00 no mercado internacional).

 

 

O fato é: O uso das criptomoedas ainda é ilegal no país. Cada vez mais aumenta o numero de mineradores e pessoas utilizando de tokens para transacionar valor ao redor do mundo. Tudo embaixo do nariz do governo. Os benefícios dos criptoativos são claros. O que o Irã está esperando para legaliza-los?



Assine a newsletter do Moeda

Receba semanalmente as mais relevantes notícias, análises e ICOs.