A chegada da gigante Coinbase ao projeto de stablecoin regulamentada da Circle, a USD Coin, como membro fundador do CENTER Consortium vai dar ainda mais força para a tendência ascendente desta moeda digital.

A cooperação e a descentralização estão entre
os valores basilares do universo das criptomoedas e ambos são o motor da mais
nova – e potencialmente poderosa – aliança do mundo dos criptoativos: o CENTRE
Consortium, uma parceria entre a Circle, Exchange que está entre as primeiras a
receber a BitLicense do estado de Nova York e a Coinbase, gigante do mercado de
câmbio e corretagem de criptomoedas em escala mundial baseada em San Francisco.
A união das duas empresas se dá em torno da USD Coin, moeda digital estável
(stablecoin) atrelada ao valor do dólar americano.

De acordo com o anúncio, a Coinbase já havia feito parceria com a Circle para construir a tecnologia subjacente à USDC, que é estruturada como um token ERC-20 na rede Ethereum, embora a extensão total do envolvimento da Coinbase não tenha sido tornada pública anteriormente. O CENTRE Consortium, responsável pel o desenvolvimento da emissão de USD Coin pode, inclusive, vir a criar outras moedas no futuro – com a vantagem de que sua distribuição em larga escala fica garantida.

Ao lançar o USDC através de uma parceria com
a Coinbase, Jeremy Allaire, co-fundador e CEO da Circle, enfatizou a
importância de criar um ativo que não tenha um único dono ou emissor.

“A Coinbase juntando-se a nós para co-fundar
o CENTER e lançar o USDC reforça o valor de um stablecoin compartilhado, padrão
e interoperável. Como os padrões da Internet, o USDC não é de propriedade de
uma única empresa, mas distribuído entre os participantes da rede de acordo com
regras claras, regulamentos e software de propriedade coletiva ”, disse ele.
“Quando começamos a trabalhar no CENTRE e no USDC no ano passado, imaginamos
colaborar com um consórcio de líderes do setor para estabelecer novos padrões
para contratos de troca de valor global e financeiros. Ficamos felizes em
colaborar com a Coinbase no CENTER e esperamos receber mais parceiros que
compartilham essa visão”, completou Allaire.

Os clientes da Coinbase em todo o mundo podem
enviar e receber o token, que é apoiado por dólares físicos armazenados em
contas bancárias controladas pela empresa, enquanto os clientes dos EUA –
excluindo os de Nova York – podem comprar e vender o token no Coinbase.com. A
USDC ainda não está listada no Coinbase Pro – o aplicativo da exchange —
embora a empresa afirme que será adicionada a essa plataforma “nas
próximas semanas”.

Comentando sua decisão de apoiar a stablecoin
do USDC, a Coinbase disse que as moedas blockchain baseadas em fiat poderiam
contribuir para o desenvolvimento de “um sistema financeiro mais aberto” e
poderiam promover a adoção de aplicativos descentralizados (dApps):

“A vantagem de um dólar digital baseado em
blockchain como o USDC é mais fácil de programar, enviar rapidamente, usar em
dApps e armazenar localmente do que os dólares tradicionais baseados em contas
bancárias. É por isso que pensamos nisso como um passo importante em direção a
um sistema financeiro mais aberto ”.

A Coinbase também observou que stablecoins
como USDC são ideais para fins comerciais e aplicações de e-commerce, pois
pagamentos denominados nesses tokens podem ser feitos a qualquer hora do dia
sem os riscos inerentes de volatilidade de preço associada ao uso de bitcoin e
outras criptocurrencies como capital de giro.

No momento, porém, as stablecoins são usadas
principalmente como um proxy do USD no comércio de criptomoedas. Coletivamente,
os ativos indexados por ação financeira registram mais de US $ 2 bilhões em
volume de negociações diárias, com a grande maioria dos negócios atualmente realizados
em Tether, a pioneira entre as stablecoins.



Assine a newsletter do Moeda

Receba semanalmente as mais relevantes notícias, análises e ICOs.